Fluxo de internação por Covid-19 nas regiões de saúde do Brasil

Autores

Palavras-chave:

Covid-19. Regionalização da saúde. Hospitalização. Movimentação e deslocamento de pacientes.

Resumo

Objetivou-se investigar os fluxos de internações por Covid-19 nas 450 regiões e 117 macrorregiões de saúde brasileiras, de março a outubro de 2020. Realizou-se estudo descritivo, compreendendo todas
as internações por Covid-19 registradas no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe
entre a 8a e a 44a semanas epidemiológicas de 2020. Identificaram-se 397.830 internações por Covid-19
no Brasil. A evasão foi de 11,9% dos residentes nas regiões de saúde e de 6,8% nas macrorregiões; padrão que se manteve no período de pico das internações por Covid-19. Houve, em média, 17,6% de evasão dos residentes das regiões de saúde do Nordeste e de 8,8% das do Sul. A evasão foi mais acentuada nas regiões de saúde com até 100 mil/hab. (36,9%), a qual foi 7 vezes maior que a verificada naquelas com mais de 2 milhões/habitantes (5,2%). O indicador de eficácia migratória negativo (-0,39) indicou predomínio da evasão. Das 450 regiões de saúde brasileiras, 117 (39,3%) apresentaram coeficiente de eficácia migratória entre -1 e -0,75; e 113 (25,1%), entre -0,75 e -0,25. Os resultados indicam que a regionalização do sistema de saúde mostrou-se adequada na organização do atendimento no território, porém, as longas distâncias percorridas ainda são preocupantes.

Publicado

2022-06-07

Como Citar

1.
Silva EN da, Soares FRG, Frio GS, Oliveira A, Cavalcante FV, Martins NRAV, Oliveira KHD de, Santos LMP. Fluxo de internação por Covid-19 nas regiões de saúde do Brasil. Saúde debate [Internet]. 7º de junho de 2022 [citado 13º de agosto de 2022];45(131 out-dez):1111-25. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/6185

Edição

Seção

Artigo Original