Organização da Atenção Primária à Saúde em Municípios Rurais Remotos do Oeste do Pará

Autores

  • Juliana Gagno Lima Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Instituto de Saúde Coletiva (Isco) https://orcid.org/0000-0002-5576-0002
  • Ligia Giovanella Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP) https://orcid.org/0000-0002-6522-545X
  • Márcia Cristina Rodrigues Fausto Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp)
  • Maria Helena Magalhães de Mendonça Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp) https://orcid.org/0000-0002-3917-9103

Palavras-chave:

Saúde da população rural, Atenção Primária à Saúde, Serviços de saúde, Estratégias de saúde

Resumo

O artigo objetiva identificar especificidades e estratégias da organização da Atenção Primária à Saúde (APS) em municípios rurais remotos (MRR) do Oeste do Pará frente singularidades do contexto amazônico. Realizou-se estudo de casos múltiplos, em cinco municípios, com entrevistas com gestores municipais, enfermeiros e médicos equipes de saúde da família. As dimensões de análise foram: territorialização, escopo de práticas e organização da agenda, colaboração interprofissional, iniciativas de atração e fixação profissional e uso de tecnologias de informação e comunicação. O trabalho da APS nos MRR, principalmente no interior, organiza-se prioritariamente em atendimentos, procedimentos individuais e imunização. Enfermeiros, técnicos de enfermagem e ACS do interior possuem escopo de ações ampliado, muitas vezes, por ausência de médicos. Além do impacto positivo do Programa Mais Médicos, destacam-se estratégias locais de atendimentos itinerantes e sobreaviso para urgência. A territorialização, central na discussão de territórios sustentáveis e saudáveis, deve ser dinâmica e exige arranjos diferenciados, com adequação do número de famílias por ACS/equipes. Estratégias específicas para organizar uma APS integral e integrada à Rede de Atenção à Saúde, financiamento federal suficiente e diferenciado e formação profissional direcionada ao rural, são necessárias para garantir acesso e qualidade dos serviços a todos os cidadãos.

Downloads

Publicado

2023-12-03

Como Citar

1.
Lima JG, Giovanella L, Fausto MCR, Mendonça MHM de. Organização da Atenção Primária à Saúde em Municípios Rurais Remotos do Oeste do Pará. Saúde debate [Internet]. 3º de dezembro de 2023 [citado 22º de fevereiro de 2024];47(139):858-77. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/8722

Edição

Seção

Artigo Original