Luz, câmera, cocriação: o cinema documentário como inspiração para descolonizar a produção de conhecimentos

Autores

Palavras-chave:

Cinema. Epistemologia. Saúde coletiva. Agrotóxicos. Agroecologia.

Resumo

O artigo discute o papel do cinema documentário como inspiração para o desenvolvimento de metodologias sensíveis co-labor-ativas em campos  interdisciplinares como a saúde coletiva, envolvendo a aproximação entre cientistas, cineastas e movimentos  sociais em torno de problemas de saúde e ambiente. O artigo ancora-se na noção de tornar comum usada  por Paulo Freire, e na obra de Boaventura de Sousa Santos denominada de epistemologias do Sul e sua  proposta para descolonizar o conhecimento, o que inclui a realização de ecologias de saberes. A partir de tais referenciais, o documentário é refletido para além de uma obra artística e autoral apoiado na ciência,  mas enquanto emergência de novas epistemes e saberes conectados a lutas sociais e processos  emancipatórios que podem inspirar a renovação  teórico-metodológica na produção de  conhecimentos. No artigo, selecionaram-se dois  documentários que versam sobre as lutas contra a  agricultura capitalista e os efeitos do uso intensivo de  agrotóxicos, assim como a promoção da agroecologia e da reforma agrária como alternativas para  sociedades mais justas, saudáveis e sustentáveis.  Como resultado, a análise de tais documentários  demonstra o potencial de reunir ciência, política, arte  e ética enquanto práticas interdisciplinares e  interculturais de co-labor-ação, coprodução e  cocriação.

Publicado

2023-05-31

Como Citar

1.
Fasanello MT, Porto MF. Luz, câmera, cocriação: o cinema documentário como inspiração para descolonizar a produção de conhecimentos. Saúde debate [Internet]. 31º de maio de 2023 [citado 22º de fevereiro de 2024];46(especial 6 dez):70-82. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/6976