Absenteísmo de usuários como fator de desperdício: desafio para sustentabilidade em sistema universal de saúde

Autores

Palavras-chave:

Absenteísmo. Atenção secundária à saúde. Gestão em saúde. Integralidade em saúde.

Resumo

O absenteísmo de usuários em consultas e exames é considerado um problema mundial na assistência à saúde, gerando desperdício de recursos tanto no setor público como no setor privado. O objetivo deste estudo foi estimar o desperdício de recursos financeiros vinculado  ao absenteísmo em procedimentos especializados no SUS na Região de Saúde Metropolitana do Espírito Santo (ES) entre os  anos de 2014 a 2016. Foram analisados 1.002.719 procedimentos, sendo 666.182 consultas e 336.537 exames especializados. Os dados de absenteísmo foram obtidos dos registros administrativos (SISREG-ES) do Sistema de Regulação do ES, fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde. Os valores financeiros foram obtidos usando a tabela SUS, tabela complementar de convênios e tabela de custos estimados, segundo o tipo de prestador envolvido no atendimento. A taxa de média de absenteísmo para consultas foi de 38,6% (257.025 consultas), num valor total estimado de R$ 3.558.837,88, e para exames especializados foi de 32,1% (108.103 exames), num total estimado de R$ 15.007.624,15. Os valores totais desperdiçados são significativos e evidenciam o desafio constante na agenda dos gestores na busca pela sustentabilidade em sistemas universais de saúde.

Publicado

2022-06-30

Como Citar

1.
Beltrame SM, Oliveira AE, Santos MAB dos, Neto ETS. Absenteísmo de usuários como fator de desperdício: desafio para sustentabilidade em sistema universal de saúde. Saúde debate [Internet]. 30º de junho de 2022 [citado 30º de janeiro de 2023];43(123 out-dez):1015-30. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/2606

Edição

Seção

Artigo Original