Condições da exposição a agrotóxicos de portadores da doença de Parkinson acompanhados no ambulatório de neurologia de um hospital universitário e a percepção da relação da exposição com o adoecimento

Autores

  • Paula Renata Olegini Vasconcellos Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)
  • Gicelle Galvan Machineski Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)
  • Rose Meire Costa Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)
  • Maria Lucia Frizon Rizzotto Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Palavras-chave:

Agroquímicos. Doença de Parkinson. Exposição ocupacional. Saúde pública.

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi investigar, a partir da história laboral de portadores da doença de Parkinson acompanhados no ambulatório de neurologia de um hospital universitário, a ocorrência e as condições da exposição a agrotóxicos, bem como a percepção da relação da exposição com o adoecimento. Trata-se de estudo exploratório e descritivo, com abordagem quantitativa e qualitativa, realizado no Hospital Universitário do Oeste do Paraná, em Cascavel, Paraná, Brasil. Foram entrevistados 32 sujeitos, o usuário ou familiares, com doença de Parkinson, por meio de entrevista telefônica a partir de roteiro semiestruturado. Desses, 16 (50%) eram homens; a maioria idosos aposentados (87,48%), com baixa escolaridade (53,13%); 25 (78,11%) trabalharam na agricultura, residindo na área rural de 11 anos a 30 anos; 24 (74,98%) afirmaram ter tido contato com agrotóxicos de forma direta ou indireta; a forma mais citada de aplicação dos agrotóxicos foi com pulverizador costal; a maioria (75%) não utilizou equipamentos de proteção individual e aprendeu a manipular os agrotóxicos com familiares. Conclui-se que um número expressivo de indivíduos com doença de Parkinson teve alguma atividade laboral na agricultura durante a vida, muitos deles com contato direto com agrotóxicos, seja no preparo e aplicação ou mesmo na lavagem das roupas.

Publicado

2022-06-30

Como Citar

1.
Vasconcellos PRO, Machineski GG, Costa RM, Rizzotto MLF. Condições da exposição a agrotóxicos de portadores da doença de Parkinson acompanhados no ambulatório de neurologia de um hospital universitário e a percepção da relação da exposição com o adoecimento. Saúde debate [Internet]. 30º de junho de 2022 [citado 30º de janeiro de 2023];43(123 out-dez):1084-9. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/2581

Edição

Seção

Artigo Original