Uma experiência de uso do georreferenciamento e do mapeamento no processo de territorialização na Atenção Primária à Saúde

Autores

  • Melina Alves de Camargos Hospital Israelita Albert Einstein
  • Fátima Corrêa Oliver Universidade de São Paulo (USP)

Palavras-chave:

Saúde pública. Atenção Primária à Saúde. Mapeamento geográfico. Integralidade em saúde.

Resumo

Este artigo tem como objetivo relatar a experiência do uso de ferramentas que instrumentalizam o processo de territorialização na Atenção Primária à Saúde. Como recursos metodológicos para nortear a inserção e apreensão das situações problema foram utilizados a observação participante e o diário de campo. A inserção junto ao Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica propiciou a apreensão das problemáticas, e, com isso, optou se por desenvolver mapeamento e georreferenciamento a fim de colaborar com o processo de territorialização da unidade, visibilização de serviços e populações. O processo de territorialização, que está para além de incumbências burocráticas, demonstrou ser um desafio para os profissionais. Foi possível construir ferramentas junto às equipes da Unidade Básica de Saúde em questão, que pode ser norte para outras equipes e equipamentos de saúde.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

1.
Camargos MA de, Oliver FC. Uma experiência de uso do georreferenciamento e do mapeamento no processo de territorialização na Atenção Primária à Saúde. Saúde debate [Internet]. 30º de junho de 2022 [citado 30º de janeiro de 2023];43(123 out-dez):1259-6. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/1999

Edição

Seção

Relato de Experiência