Avaliação do Programa Mais Médicos: relato de experiência

Autores

Palavras-chave:

Programa Mais Médicos. Recursos humanos em saúde. Atenção primária à saúde. Avaliação em saúde. Programas nacionais de saúde.

Resumo

O acesso à saúde de forma universal e equitativa está preconizado na Constituição Federal de 1988, devendo ser garantida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Dentre os diversos fatores que contribuem para a não efetivação dos princípios do SUS destacam-se a insuficiência de profissionais e as disparidades regionais na distribuição de recursos humanos, principalmente médicos. Este artigo relata a experiência de avaliação do Programa Mais Médicos (PMM) por uma equipe multidisciplinar composta por 28 pesquisadores, a partir de trabalho de campo em 32 municípios com 20% ou mais da população em extrema pobreza selecionados em todas as regiões do Brasil (áreas remotas, distantes das capitais e comunidades quilombolas rurais), além de análises sobre os 5.570 municípios brasileiros baseadas em bancos de dados do Ministério da Saúde. A pesquisa resultou em vasta produção científica, apontando importantes resultados como ampliação do acesso à saúde e redução de internações evitáveis. As reflexões, aqui trazidas, permitem concluir que o PMM contribuiu para a efetivação e consolidação dos princípios e diretrizes do SUS e garantiu acesso à saúde, especialmente para as populações mais pobres, municípios pequenos e regiões remotas e longínquas.

Publicado

2022-04-24

Como Citar

1.
Dos Santos W, Comes Y, Pereira LL, Costa AM, Merchan-Hamann E, Santos LMP. Avaliação do Programa Mais Médicos: relato de experiência. Saúde debate [Internet]. 24º de abril de 2022 [citado 13º de agosto de 2022];43(120 jan-mar):256-68. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/1807

Edição

Seção

Relato de Experiência