Fatores que interferem no enfrentamento da violência infantil por conselheiros tutelares

Autores

Palavras-chave:

Criança. Maus-tratos infantis. Violência. Serviços de proteção infantil.

Resumo

A presente pesquisa objetivou apresentar perspectivas de conselheiros tutelares sobre a atuação nos casos de violência contra a criança. Para tanto, foram entrevistados 16 profissionais atuantes no município de Palmas (TO), Brasil. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo. Identificou-se que interferem no enfrentamento da violência infantil, por esses atores, a falta de conhecimento e habilidades para identificar crianças em risco ou situação de violência, o envolvimento das famílias nos casos, a precariedade de recursos materiais, o quantitativo insuficiente de profissionais, falhas na rede de proteção à criança, estereótipos culturais, a desvalorização profissional e a impunidade do agressor. Sendo assim, para que o Conselho Tutelar consiga exercer plenamente suas funções e contribuir para a interrupção do ciclo de violência infantil, são necessários investimentos em diversas áreas, tais como a qualificação dos conselheiros tutelares, por meio da oferta de cursos periódicos, e a implantação de ambientes de trabalho com recursos material e humano suficientes, de modo a contribuir para que se exerçam ações integradas, intersetoriais e resolutivas.

Biografia do Autor

Leidiene Ferreira Santos, Universidade Federal do Tocantins

Enfermeira, Doutorado em Enfermagem, professora do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Tocantins/UFT

Maraína Moreira da Costa, Graduada pela Universidade Federal do Tocantins

Enfermeira. Graduada pela Universidade Federal do Tocantins

Ana Carolina Rodrigues de Souza Javae, Graduada pela Universidade Federal do Tocantins

Enfermeira graduada pela Universidade Federal do Tocantins.

Cintia Flôres Mutti, Universidade Federal do Tocantins

Enfermeira, Mestrado, professora do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Tocantins/UFT . Palmas (TO), Brasil

Leonora Rezende Pacheco, Universidade Federal de Goiás

Enfermeira, Doutorado em Enfermagem, professora do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás/UFG.

Publicado

2022-04-22

Como Citar

1.
Santos LF, Costa MM da, Javae ACR de S, Mutti CF, Pacheco LR. Fatores que interferem no enfrentamento da violência infantil por conselheiros tutelares. Saúde debate [Internet]. 22º de abril de 2022 [citado 13º de agosto de 2022];43(120 jan-mar):137-49. Disponível em: https://saudeemdebate.org.br/sed/article/view/1317

Edição

Seção

Artigo Original